Motivos que impedem você de baixar o peso na balança

Motivos que impedem você de baixar o peso na balança

Quais motivos que impedem você de baixar o peso na balança? Quando você inicia um processo de cuidados com a saúde e com a alimentação visando o emagrecimento, o que você tanto espera?

Certamente que os ponteiros da balança baixem logo, correto?

Mas, muitas vezes, isso não ocorre de forma tão rápida como esperamos, ou, na verdade, achamos que não está ocorrendo.

São anos e anos de má alimentação, maus cuidados e falta de atenção consigo mesmo. E num piscar de olhos, queremos comemorar um resultado incrível ao subir na balança!

Tudo tem seu tempo e somos muito mais do que um simples dígito.

Processo de emagrecimento

Certamente o processo de emagrecimento sofre influência por diversos fatores. Idade, qualidade do sono, função intestinal, hormônios, gasto energético, estresse, intolerâncias, histórico de “dietas”, quantidade de massa muscular, uso de medicamentos…

Uma infinidade de interações que podem influenciar positiva ou negativamente no processo de perda de peso.

Quando falamos que cada ser humano é único, é a isso que nos referimos. Cada um com suas peculiaridades.

Tá… mas mesmo sabendo que cada organismo responde de uma forma, o que acontece quando o danado ponteiro não mexe?

Vou citar aqui três motivos que podem estar levando a isso, mas quero focar em um especialmente.

3 motivos que impedem de baixar peso na balança

O primeiro motivo pode ser pela adaptação que o metabolismo está sofrendo com o que está sendo seguido. Ou seja, hora de mudar a estratégia.

Mas sempre reforço, só vale a pena mesmo mudar a estratégia se a orientação está sendo seguido com constância, ok?

Segundo motivo: se você pratica algum tipo de exercício de força e resistência como musculação ou crossfit, pode ser que esteja ocorrendo estímulo para hipertrofia. Com isso você ganha massa muscular.

Inevitavelmente os ponteiros não irão baixar tão rápido. Entretanto seu metabolismo agradece, já que quanto mais massa magra, mais ativo ele se torna.

E o terceiro motivo: você pode estar eliminando gordura visceral. Isso mesmo. Este é o motivo que quero dar uma atenção especial, já que ele nos mostra como o cuidado com a saúde vai além da estética.

Camada subcutânea e camada visceral

Temos no nosso corpo diferentes locais de depósito de gordura, eles são divididos em dois tipos de camadas.

A camada subcutânea, localizada logo embaixo da superfície da pele, e a camada visceral, que reveste os órgãos e estruturas internas.

Essa camada visceral, conhecida como gordura visceral, é mais comum em homens e em mulheres após a menopausa. São células de gorduras maiores, super ativas e que afetam negativamente o metabolismo.

O tecido adiposo ganhou reconhecimento hoje como um órgão multifuncional. Além, claro, da sua tradicional função no armazenamento de energia.

Ele possui papel importante na liberação de moléculas pró-inflamatórias, como a IL-6, TNF-α e leptina, as quais atuam na inflamação local e sistêmica. 

Gordura visceral

Diversos estudos revelam a estreita relação da adiposidade abdominal com a tolerância à glicose, hiperinsulinemia, hipertrigliceridemia e hipertensão arterial.

Mais que uma simples associação, recentemente, acredita-se que a gordura visceral desempenha um papel central na fisiopatologia da Síndrome Metabólica.

Como nosso corpo é muito esperto ele dá prioridade na eliminação deste tipo gordura em relação à subcutânea, aquela que nos incomoda visualmente. 

E, sendo a gordura visceral uma célula maior, seu processo de eliminação é um pouco mais demorado. Portanto, está aí a explicação de muitas vezes o peso estar sendo eliminado de forma mais lenta!

Não se atente somente ao que um ponteiro representa, é somente um número.

Você é muito mais que isso! 

Gostou do conteúdo? Deixe a sua opinião. Conheça nossos programas e estratégias para ajudar você a ter mais saúde.

Related Posts
2 Comments
Laura

👏👏👏👏

[…] você está em busca do emagrecimento, cuide da saúde intestinal. Ela está diretamente ligada ao funcionamento do nosso […]

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *