O que te impede de emagrecer?

O que te impede de emagrecer?

“Emagrecer”, ô palavrinha que nos persegue, não é mesmo?

É capaz de tirar o sono até das pessoas mais “analisadas”. E não estou falando apenas das mulheres, não…

Pois então… Eu sei, porque já fui refém desse estigma muito tempo, e se não me falha a memória, nem tanto tempo atrás assim… O que mudou?

Eu te digo: Minha mentalidade, o meu nível de Mindset!

Gente, construir uma mentalidade correta é um fator preponderante para ter êxito e alcançar bons resultados, ou seja, atingir seu objetivo: Sentir-se bem, saudável, de bem consigo mesmo e com quilos a menos na balança!

Mas antes é preciso conseguir “ter menos quilos na mente”, percebe?

A mente é uma vilã à espreita quando o assunto é “emagrecer”, porque o subconsciente nos protege, lembra desse detalhe? E nossa cabecinha já internalizou, inclusive culturalmente falando, que para conseguir isso é preciso de sacrificar!!

Taí o ‘X’ da questão! Nossa mente emparelhou com sofrimento, desprazer e com restrição essa ação “emagrecer” e para tanto, precisa lançar mão de artifícios para “proteger” nosso corpo desse possível ataque! Isso tudo gera um estresse horrível, concorda?

Então, que tal falarmos sobre o estresse…

O que exatamente é ISSO?

O estresse é a forma como seu corpo responde a qualquer tipo de demanda. Pode ser causado por boas e más experiências. Interessante, não é mesmo?

Quando as pessoas se sentem estressadas por algo ao redor delas, seus corpos reagem lançando hormônios no sangue. Essas substâncias dão às pessoas mais energia e força, o que pode ser uma coisa boa se seu estresse for causado por perigo físico. Mas também pode ser algo ruim, se o estresse for responsável por algo emocional e não haver possibilidade de extravasar essa energia e força extras.

Estamos falando dos dois principais hormônios lançados no sangue: Cortisol e a adrenalina (epinefrina).

As glândulas adrenais são responsáveis por produzirem esses hormônios, que nos preparam para emergências (o que é muito providencial, em alguns casos). Essa resposta ao estresse está arraigada em nossos ancestrais desde o começo dos tempos, e nos é benéfica para nossa sobrevivência, por fornecer um maior estado de alerta, permitindo com que estejamos prontos para lutar ou correr. Porém…

Essa resposta era ótima quando encontrávamos algum perigo físico ameaçando nossas vidas (como quando um tigre dente de sabre tentava nos atacar), hoje, porém, o estresse que encontramos é diferente. É mais mental e emocional (agora, “seu emprego” pode ser seu tigre dente de sabre atrás de você ou ainda pior, a falta dele). Mas o corpo responderá da mesma forma, porque ele não sabe a diferença entre estresse físico e mental.

Ok, mas vocês podem pensar: “- Entendi! Mas qual a relação com o ganho de peso, mesmo? ”.

Eu explico…

Estresse e ganho de peso andam de mãos dadas. Fato!

Primeiro, os efeitos negativos de níveis altos e prolongados de cortisol incluem supressão da função da tireoide e desequilíbrios nos níveis de açúcar no sangue. A maneira como seu corpo funciona muda e sua gordura abdominal passa a ser criada e armazenada. Esse é um dos locais mais perigosos para se armazenar gordura e está ligado a vários problemas sérios de saúde.

A quantidade exata de cortisol que é liberada varia de pessoa para pessoa. Estudos também mostraram que pessoas que liberam níveis mais altos em resposta ao estresse tendem a comer mais.

Detalhe: E o que essas pessoas escolhem comer geralmente contém mais carboidratos. Isso porque seus hormônios do estresse são criados a partir de gorduras e açúcares, então seu corpo irá pedir por mais, para que possa criar mais hormônios do estresse… Vira um “looping sem fim”…

Fora o fato que, o estresse pode desacelerar o metabolismo de algumas pessoas.
É claro, quando isso acontece, é mais fácil e mais provável que você ganhe peso!!!!!!

Fica aquela sensação: A pessoa pode estar se sentindo satisfeita, mas ainda continua com fome. Pode estar comendo a mesma quantidade de comida, mas agora a eficácia do seu corpo em quebrar as calorias sofreu uma mudança, ou seja, acaba com um “excesso” de energia (das calorias) que é convertido para células de gordura.

Voltando à comida: O estresse também pode afetar os alimentos que você quer comer. Quando você se sente triste e deprimido, você tem mais probabilidades de buscar alimentos com muita gordura, sal e açúcar.

Comer uma salada não faz com que você se sinta melhor, então você quer o sorvete e a batata frita, porque esse tipo de comida tem efeito de droga, é viciante, mantém a sensação de ativação dopaminérgica.

Além das vontades que não são saudáveis, o estresse também pode causar distúrbios alimentares de ordem emocional. A mudança nos níveis de cortisol aumenta a energia nervosa dentro do corpo.

Quando isso acontece, parece natural comer toda e qualquer coisa em que você consegue colocar as mãos. Você não precisa da quantidade de alimentos em excesso, mas comer faz com que você se sinta melhor, pelo menos na sua mente.

Sim, com o emocional abalado, tudo se amplifica, tanto que os cientistas usam o termo “comer de forma emocional” para descrever a forma como muitas pessoas se auto medicam ou lidam com sentimentos negativos como depressão, ansiedade, estresse e tédio. Isso também pode ser causado por fadiga ou exaustão.

Estudos confirmam que pessoas com estresse crônico tendem a ganhar peso tanto pelas mudanças hormonais relacionadas, quanto pelas estratégias de manejo mal orientadas que se direcionam na finalidade “do comer para gerar alívio”.

Esses quilos a mais tendem a ajudar as pessoas a se sentirem mais esclarecidas ou alimentadas! Veja que dúbio!

Eles podem buscar isolamento do mundo ou uma forma de escapar por um tempo do que quer que esteja acontecendo à sua volta.

Algumas vezes, as pessoas comem para completar um vazio interno ou para lidar com a toxicidade emocional, materializando em peso, sua “falta ser” no mundo!

Debaixo desse entendimento, quero convidá-lo (a) a conferir 6 passos para ter uma mentalidade que te permita emagrecer:

  1. Tire da mente a palavra “proibido”!

A proibição, naturalmente, implica num aumento da ansiedade frente à restrição. Pense que você pode consumir, mas que no exato momento não é a melhor opção a escolher.

  • A dieta mais importante: A da mente!

É preciso lembrarmos que “o que vem fácil, vai fácil”, portanto, essas dietas malucas, de efeito instantâneo” são uma das causas do temido “efeito sanfona”. Queira a mudança, pensando em um novo “estilo de vida”, algo que venha favorecer, sem prazo de validade, sua qualidade de vida, saúde e bem-estar.

  • Livre-se da culpa!

A culpa está intimamente ligada ao contexto cultural e às crenças de não merecimento, identidade e pertencimento; tem ligação direta com o remorso e é capaz de trazer inúmeros prejuízos emocionais.

Não se culpe, apenas siga e busque não repetir a mesma experiência. Sempre olhe como aprendizado!

  • Não faça da comida sua única fonte de prazer!

Comer é prazeroso, sabemos disso, mas não é interessante que seja a única fonte de prazer; se está sendo, reveja suas prioridades…. Perceba o quanto é necessário incluir mais distração e entretenimento para gerar valor infinito em sua vida. Você sabe que a ‘comida’ funciona a partir de uma química no cérebro, portanto, o efeito é passageiro!

  • Exclua a expressão “Eu não consigo” do seu vocabulário!

Frases negativas são mal interpretadas no cérebro e como ele é altamente disciplinado e obediente, vai seguir o comando! Portanto, troque por afirmações positivas. Ensine seu cérebro a viver sob a polarização positiva, assim vai atrair cada vez mais energia de realização em sua vida!

Queira sua mente do seu lado, agindo a seu favor e não contra você. Esse comando é seu direito e sua escolha!

  • Aceite uma nova realidade para sua vida!

Decida viver uma vida nova, com bons resultados e se veja merecedor disso! Queira estar, ser e viver uma vida mais saudável porque está debaixo do seu domínio, se assim você escolher!

O que é bom, perfeito e agradável pode te acompanhar, mas você precisa permitir esse novo entendimento!

Estamos contigo nessa. Conte com nosso apoio especializado e nosso olhar carinhoso para com a sua vida!

Venha para a Verità Care!

Related Posts
Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *